Embrapa Gado de Corte
Lucimara Chiari

Lucimara Chiari

Chefia Adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento

Enviar e-Mail de Contato

(67) 3368-2120

Cartão de Visita

http://lattes.cnpq.br/0790947533844588

Embrapa Gado de Corte

Resumo

Chefe Adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Gado de Corte, possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Londrina (UEL); Mestrado em Genética e Melhoramento pela UEL e Doutorado em Genética e Melhoramento pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Na Embrapa Gado de Corte é pesquisadora desde 2006, atuando na área de Biotecnologia Vegetal com ênfase em: marcadores moleculares, prospecção de genes de interesse agronômico e expressão gênica. É presidente da Comissão Interna de Biossegurança – CIBio da Embrapa Gado de Corte desde de 2011. Atua como colaboradora do curso de doutorado em Biotecnologia da Rede Pró-Centro Oeste; e como consultora ad hoc de projetos de pesquisa da FUNDECT (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul) e de artigos técnico-científicos para as revistas Ciência Rural (Santa Maria, RS – Brasil), Ciência e Agrotecnologia (Lavras, MG – Brasil) e African Journal of Biotechnology (http://www.academicjournals.org/AJB ISSN 1684–5315).

Atuação

Biotecnologia Vegetal

Marcadores moleculares, RNA-Seq, Transcriptomica e genômica

Chefe-Adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento

Presidente do CTI

Área de Conhecimento

Ciências Biologicas » Genética

Palavras-chave

Acetato de amônio, Anostomidae, Análise de bulk segregante, Apomixia, Bibliotecas de expressão, Biossegurança, Brachiaria, Brachiaria humidicola, CTAB, Correlação fenotípica, Cytokines, DNA, DNA vaccine, EST, Fabaceae, Glycine max, Herança, Herdabilidade, Isoflavonas, Isoflavones, Lactato-desidrogenase, Malato-desidrogenase, Mixed mating model, Média de Gerações, OGM, Panicum maximum, Pimelodidae, Polimorfismos, Polimorfismos de DNA, Prospecção de genes, Proteína, QTL, RAPD, Recombinant vaccine, SSR, Schistosoma mansoni, Sequências diferencialmente expressas, Shistosoma mansoni, Sm22.6, Soja, Streptococus piogenis, Stylosanthes, Stylosanthes capitata, Stylosanthes guianensis, Urochloa, Urochloa decumbens, Urochloa ruziziensis, adjuvantes, agrupamento, alagamento, alumínio, apospory, autogamia, biblioteca de expressão, biotechnology, biotecnologia, biotecnologia vegetal, braquiária, breeding of plants, citoembriologia, citoplasmatic effect, daidzin, desequilíbrio de ligação, distância genética, epistasy, estratégias de fenotipagem, estresse abiótico, estresse biótico, expressão gênica, família Anostomidae, fecundação cruzada, fingerprinting, forage grass, forrageira, forrageiras, forrageiras tropicais, genetic diversity, genetics, genistin, genética vegetal, germoplasma, glycitin, gramíneas forrageiras, heredity, heritability, híbridos, isoenzimas, leguminosa forrageira, ligação gênica, linkage map, mapas genéticos, mapeamento de QTLs, marcadores moleculares, maternal effect, melhoramento genético, melhoramento genético vegetal, microsatellites, microssatélites, modo de reprodução, molecular markers, mudanças climáticas, out-crossing rate, pastagem, pastagens, peixe, peixes, plant breeding, polimorfismo, polimorfismo genético, polimorfismos genéticos, poliploidia, prospecção gênica, proteínas recombinantes, pré-melhoramento, qRT-PCR, qualidade, reproductive mode, seca, similaridade genética, sintase de isoflavona, sintenia, solos ácidos, soybean, taxa de Cruzamento, tolerância ao alumínio, transferibilidade, tropical forage, tropical forage grass, tropical forage legume, vaccine, vacinas de DNA, vacinas gênicas, variabilidade genética, Óleo, ácido ribonucléico e índice de fixação

Projetos

MEGFOR

Melhoramento Genético de Urochloa mosambicensis e Cenchrus ciliaris para o Semiárido Brasileiro

2018-2021

Com Cacilda Borges do Valle.

FORRAGENS

Genômica Funcional e Estrutural de Espécies Forrageiras Tropicais

2016-2019

Com Cacilda Borges do Valle e Karem Guimaraes Xavier Meireles.

CULTIPAN

Desenvolvimento de cultivares de Panicum maximum para a diversificação, sustentabilidade e intensificação das pastagens

2015-2019

Com Alexandre Romeiro de Araujo, Andrea Raposo, Celso Dornelas Fernandes, Dalizia Montenario de Aguiar, Edson Espindola Cardoso, Erno Suhre, Fabricia Zimermann Vilela Torres, Haroldo Pires de Queiroz, Jaqueline Rosemeire Verzignassi, Jose Raul Valerio, Karem Guimaraes Xavier Meireles, Liana Jank, Luiz Antonio Dias Leal, Mariane de Mendonca Vilela, Marlene de Barros Coelho Caviglioni, Mateus Figueiredo Santos, Roberto Giolo de Almeida, Rodrigo Amorim Barbosa e Valdemir Antonio Laura.

O objetivo do projeto é desenvolver cultivares de Panicum maximum com elevada produção e qualidade, resistentes a Bipolaris maydis e cigarrinhas das pastagens, e com adaptação a pelo menos um estresse edafoclimático, que permitam uma maior diversificação, sustentabilidade e intensificação das pastagens. O Panicum maximum é uma espécie de gramínea forrageira de alto grau de importância para as cadeias produtivas de bovinos e ovinos no Brasil e no mundo, por se destinar à intensificação dos sistemas de produção e conferir excelente acabamento nos animais. A Embrapa Gado de Corte é a instituição única no mundo que dispõe de germoplasma da espécie, representativo da variabilidade natural e com formas sexuais que permitem a realização do melhoramento genético. No Brasil, apenas 10% da produção bovina vem de confinamento, o restante sendo de bovinos criados e engordados a pasto. Enquanto as braquiárias ocupam áreas de solos de baixa a média fertilidade no país e plantios em sistema extensivos de produção, o P. maximum ocupa solos de média a alta fertilidade em sistemas de produção intensivos. Estima-se que existem em torno de 20 milhões de hectares de P. maximum no Brasil, todos de cultivares desenvolvidas pela Embrapa. A presente proposta é a continuação do projeto “Desenvolvimento de cultivares de Panicum maximum para diversificação e intensificação das pastagens”, que resultou no lançamento do P. maximum cv. BRS Zuri, registrada e protegida no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e no registro da cv. BRS Tamani também no Mapa. O objetivo do atual projeto é lançar comercialmente duas cultivares e ter uma sendo finalizada para lançamento. 

BRACMELHOR

Melhoramento genético e desenvolvimento de cultivares de Brachiaria spp. visando à sustentabilidade da produção pecuária

2015-2019

Com Andrea Raposo, Cacilda Borges do Valle, Celso Dornelas Fernandes, Dalizia Montenario de Aguiar, Denise Baptaglin Montagner, Edson Espindola Cardoso, Erno Suhre, Fabricia Zimermann Vilela Torres, Haroldo Pires de Queiroz, Jaqueline Rosemeire Verzignassi, Jose Raul Valerio, Karem Guimaraes Xavier Meireles, Luiz Antonio Dias Leal, Manuel Claudio Motta Macedo, Mariane de Mendonca Vilela, Roberto Giolo de Almeida, Rodrigo Amorim Barbosa, Rosangela Maria Simeao Resende, Sanzio Carvalho Lima Barrios, Valdemir Antonio Laura e Valeria Pacheco Batista Euclides.

O objetivo do projeto é desenvolver e lançar novas cultivares de braquiária com diferenciais qualitativos, de produtividade e resistência a estresses bióticos e abióticos para diferentes ecossistemas de produção animal e sistemas integrados visando contribuir para uma produção pecuária sustentável. Gramíneas do gênero Brachiaria vêm contribuindo decisivamente para o desenvolvimento da bovinocultura nacional fazendo do Brasil o segundo maior produtor e maior exportador mundial de carne bovina. Como a maioria do rebanho bovino é criada e terminada a pasto, o diferencial qualitativo do produto brasileiro são animais produzidos com menor risco associado à “vaca louca”, observando o bem estar animal e menor custo de produção. Ademais, com as mudanças climáticas previstas torna-se ainda mais importante o desenvolvimento de novas cultivares de Brachiaria, garantindo maior produtividade, adaptação a estresses e melhor valor nutritivo visando mitigar a emissão de gases de efeito estufa pelos bovinos em pastejo, de forma a garantir a sustentabilidade desse agronegócio. A diversificação dos extensos monocultivos de braquiária e a demanda crescente por novas cultivares superiores às existentes são o principal foco a ser trabalhado nesse projeto, uma continuação do projeto finalizado em março de 2015 que liberou as cultivares BRS Paiaguás e BRS Tupi, ambas registradas e protegidas.  

REPFOR

Análises de sequências gênicas e processos associados com o desenvolvimento reprodutivo de Brachiaria para aplicações biotecnológicas em diferentes espécies

2015-2018

Com Cacilda Borges do Valle.

O Brasil lidera a pesquisa de reprodução de plantas forrageiras, mas enfrenta como pior desafio a baixa diversidade das pastagens, formadas principalmente por plantas apomíticas. A apomixia - reprodução assexual por sementes – é uma área da biotecnologia com grande potencial para otimizar o melhoramento genético dessas espécies, pois desenvolve materiais genéticos e procedimentos para clonagem vegetal pela utilização direta de sementes.  Esse projeto propõe a determinação de estratégias de regulação dos genes associados ao modo de reprodução, considerados de grande potencial biotecnológico, a partir de estratégias de bioinformática e biologia molecular, entre outras.

REDE VEGETAL

REDE NACIONAL DE RECURSOS GENÉTICOS VEGETAIS

2009-2015

Com Cacilda Borges do Valle, Celso Dornelas Fernandes, Liana Jank e Rosangela Maria Simeao Resende.

Os recursos genéticos vegetais são acervos estratégicos para o desenvolvimento agrícola e para o agronegócio brasileiro. Por isso, a Embrapa investe desde a sua criação, em 1973, na manutenção das atividades relacionadas à conservação de recursos genéticos e à ampliação da base genética disponível para os programas de melhoramento dos produtos que já estão na mesa do brasileiro e aqueles que contribuem para a segurança alimentar e para a geração de divisas para o país.É também de fundamental importância conservar os recursos genéticos vegetais autóctones (originários do Brasil), em especial aqueles com potencial para serem incorporados à dieta alimentar da população e atender ao mercado nacional e internacional. O presente projeto é desenvolvido em rede, envolvendo 35 unidades descentralizadas da Embrapa e parcerias com Instituições de Pesquisa Federais e Estaduais, Universidades e representantes de Organizações não governamentais e da Iniciativa PrivadaO objetivo é modernizar a gestão dos trabalhos com recursos genéticos vegetais da Embrapa, para que a Empresa possa atender melhor às demandas nacionais atuais e futuras, com foco no enriquecimento, conservação, caracterização, documentação e disponibilização de em prol da segurança alimentar brasileira.O projeto prioriza, de forma integrada, os recursos genéticos de todas as regiões, e a modernização dos métodos de caracterização, compartilhamento e difusão da informação. Uma parte significativa das ações está voltada a produtos de grande impacto no agronegócio e agricultura familiar.É também de fundamental importância conservar os recursos genéticos vegetais autóctones (originários do Brasil), em especial aqueles com potencial para serem incorporados à dieta alimentar da população e atender ao mercado nacional e internacional. O presente projeto é desenvolvido em rede, envolvendo 35 unidades descentralizadas da Embrapa e parcerias com Instituições de Pesquisa Federais e Estaduais, Universidades e representantes de Organizações não governamentais e da Iniciativa Privada   O objetivo é modernizar a gestão dos trabalhos com recursos genéticos vegetais da Embrapa, para que a Empresa possa atender melhor às demandas nacionais atuais e futuras, com foco no enriquecimento, conservação, caracterização, documentação e disponibilização de em prol da segurança alimentar brasileira.   O projeto prioriza, de forma integrada, os recursos genéticos de todas as regiões, e a modernização dos métodos de caracterização, compartilhamento e difusão da informação. Uma parte significativa das ações está voltada a produtos de grande impacto no agronegócio e agricultura familiar.

FORDROUGHT

Desenvolvimento de estratégias de seleção precoce para a tolerância à seca em gramíneas forrageiras apomíticas

2012-2015

Com Liana Jank e Valdemir Antonio Laura.

Trata-se de um projeto de cooperação internacional entre a Embrapa, no Brasil, e o Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (Inta), na Argentina. Nesses países a pecuária bovina baseia-se na produção animal a pasto. A queda expressiva da produção forrageira que ocorre nos períodos de seca influencia diretamente a produtividade do rebanho. As mudanças climáticas poderão agravar o problema, pois devem levar a um aumento na frequência e intensidade dos períodos de seca, principalmente nos países tropicais. Neste contexto, o objetivo é desenvolver marcadores bioquímicos e moleculares para seleção precoce de genótipos de Cenchrus ciliaris e Panicum maximum mais tolerantes à seca. Além disso, pretende-se desenvolver um método simples e rápido para avaliação fenotípica da tolerância à seca, identificar fontes de tolerância no germoplasma dessas espécies e ampliar a variabilidade genética por meio de cruzamentos dirigidos nos programas de melhoramento das duas instituições.

CULTIFOR

DESENVOLVIMENTO DE ESTRATÉGIAS SUSTENTÁVEIS PARA A SANIDADE DE FORRAGEIRAS TROPICAIS NATIVAS E EXÓTICAS

2010-2015

Com Karem Guimaraes Xavier Meireles.

ESTILO_TROPICAL

Melhoramento genético de Stylosanthes para a sustentabilidade de pastagens tropicais

2011-2015

Com Ademir Hugo Zimmer, Celso Dornelas Fernandes, Jaqueline Rosemeire Verzignassi, Marta Pereira da Silva, Rosangela Maria Simeao Resende e Sergio Raposo de Medeiros.

FORAGENS

Prospecção de sequências diferencialmente expressas em Panicum maximum Jacq. relacionadas à resistência à infecção pelo fungo Bipolaris maydis (Nisik.) Shoemaker

2011-2014

Com Celso Dornelas Fernandes.

APOGEN

Genômica funcional e controle genético da reprodução vegetal por apomixia e sexualidade com perspectivas biotecnológicas

2010-2014

Com Cacilda Borges do Valle e Liana Jank.

NOVACULTPM

Obtenção de novas cultivares de Panicum maximum para diversificação e intensificação das pastagens brasileiras

2007-2010

Com Celso Dornelas Fernandes, Fernando Alvarenga Reis, Jose Raul Valerio, Liana Jank, Manuel Claudio Motta Macedo, Rosangela Maria Simeao Resende, Valdemir Antonio Laura e Valeria Pacheco Batista Euclides.

A pecuária de corte no Brasil é baseada no uso de pastagens, mas dispõe de poucas forrageiras de alta produção, com boa distribuição de forragem ao longo do ano e adaptadas às diversas condições ecológicas do país. Na busca por novas forrageiras, a Embrapa Gado de Corte importou a coleção internacional de Panicum maximum, representativa da variabilidade natural da espécie e que inclui acessos apomíticos e plantas sexuais que permitem o melhoramento genético. Através desse projeto, por meio de melhoramento genético e seleção, foram desenvolvidos genótipos de P. maximum para atender às diversas demandas das cadeias produtivas de carne bovina e ovina. Com isso, foram lançadas comercialmente as cultivares BRS Zuri e BRS Tamani, visando contribuir com a diversificação das pastagens e o aumento da produtividade animal em áreas tropicais do Brasil.

Formação Acadêmica

Doutorado em Genética e Melhoramento

Universidade Federal de Viçosa

1999-2003

Mestrado em Genética e Biologia Molecular

Universidade Estadual de Londrina

1997-1999

Graduação em Ciências Biológicas Licenciatura e Bacharelado

Universidade Estadual de Londrina

1992-1996

Idiomas

Inglês

Compreende bem, fala razoavelmente, lê bem e escreve bem.

Espanhol

Compreende bem, fala razoavelmente, lê bem e escreve pouco.

Última atualização em 24-04-2017 14:39:50.

Powered by Pandora from PLEASE Lab.