Embrapa Gado de Corte
Jaqueline Rosemeire Verzignassi

Jaqueline Rosemeire Verzignassi

Grupo de Pesquisa Vegetal

Enviar e-Mail de Contato

(67) 3368-2178

Cartão de Visita

http://lattes.cnpq.br/5205683457383629

Embrapa Gado de Corte

Resumo

Engenheira Agrônoma, Pesquisadora A na área de Tecnologia de Sementes de Forrageiras Tropicais da Embrapa Gado de Corte. Graduada pela Universidade Estadual de Maringá, mestrado em Agronomia pela Universidade Estadual de Londrina (Fitopatologia, conclusão em 1996) e doutorado em Agronomia (Proteção de Plantas) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Unesp (Fitopatologia, conclusão em 2000). Pós-Doutorado em Fitopatologia na Embrapa Gado de Corte (2002) e Pós-doutorado em Fitopatologia na Universidade Estadual de Maringá (2005). De 2005 a 2007 foi pesquisadora da Embrapa Amazônia Oriental, também na área de Fitopatologia. Pesquisadora produtividade do CNPq, Professora credenciada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias (Mestrado e Doutorado) do IF Goiano e consultora ad hoc de vários periódicos científicos e técnicos. Representa a Embrapa Gado de Corte na Comissão Estadual de Sementes e Mudas - CESM/MS e no Comitê de Sementes de Forrageiras da Aprossul/MS.

Área de Conhecimento

Ciências Agrárias » Agronomia » Fitotecnia

Palavras-chave

patologia de sementes, pepino, pepino japonês, resistência genética, ADUBAÇÃO ORGÂNICA, ALTERNARIA ALTERNATA, ALTERNARIA PORRI, ALTERNARIA STEVIAE, Ananas comosus, Aniba rosaeodora, Arachis, Bactris gasipae, Bipolaris incurvata, Brachiaria, Brachiaria brizantha, Brachiaria brizantha cv. Marandu, C. gloeosporioides, CONTROLE BIOLÓGICO, CONTROLE DE PATÓGENOS, Cajanus cajan, Capsicum annunn, Ciência e tecnologia, Claviceps sulcata, Cocos nucifera, Cocus nucifera, Colletotrichum gloesposporioides, Cucumi melo, Cucumis satvus, Cymbopogon citratus, Didymella bryoniar, Diospyros kaki, ENDOFÍTICOS, ERWINIA HERBICOLA, ESPORULAÇÃO, Erysiphe cichoracearum, Estilosantes, Estilosantes Campo Grande, Fusarium oxysporum, Fusarium subglutinans f.sp. ananas, FÍSICA, QUÍMICA E BIOLOGIA DE SOLO, Helicônia, Leandria momordicae, Leucaena, Lycopersicon esculentum, MANCHAS FOLIARES, MICRORGANISMOS EFICAZES, MICRORGANISMOS ENDOFÍTICOS, Maracuja, Melhoramento Genético, Meloidogyne incognita, Morinda citrifolia, PRODUÇÃO, PSEUDOMONAS FLUORESCENS, PUCCINIA ALLII, Panicum, Panicum maximum, Passiflora, Passiflora edulis, Patologia florestal, Pestalotia, Pestalotiopsis, Puccinia, Puccinia cymbopogonis, Puccinia heliconiae, Pythium, SEPTORIA STEVIAE, Sclerotium rolfsii, Sphacelia, Sphaeroteca fuliginea, Stevia rebaudiana, Stylosanthes capitata, Stylosanthes macrocephala, Stylosanthes spp., TRATAMENTO TÉRMICO, Tilletia, Tilletia ayresii, Ustilago, Ustilago operta, abacaxi, abacaxizeiro, abamectin, abóbora, acaricida, agrotóxicos, alelopatia, alface, alho, allium sativum, anthracnose, antracnose, análise foliar, açai, açaizeiro, bacteriose, bactéria, baunilha, braquiarão, braquiária, capim braquiarão, capim-limão, caquizeiro, caracterização morfológica, caracterização patogênica, chalcona, cigarrinhas, citricultura, citros, cladosporium fulvum, clorofila, clorofilômetro, clínica fitopatológica, coco, coletor solar, colletotrichum gloeosporioides, composto, consultoria ad hoc, controle, controle alternativo, controle de doenças, controle químico, coqueiro, corynespora cassiicola, cucumis melo, cucumis sativus, cultivar development, cultivo protegido, curvularia, defesa fitossanitária, diagnose, didymella bryoniae, doença, doenças, doenças de plantas, drechslera, enxertia, estufa, estufa plástica, estufas, estévia, extrato, ferrugem, fitopatologia, fitoplasma, fitotoxicidade, floricultura, forrageira, forrageiras, forrageiras tropicais, fungicidas, fungo, fungos, fusariose do meloeiro, gado de corte, genetic variability, gramíneas, gramíneas forrageiras, heliconia, helminthosporiose, helmintosporiose, herbicida, herbicidas, herdabilidade, hidroponia, hortaliça, hortaliças, indução de ressitência, inoculação, inseticida-acaricida, lactuca sativa, legume, leguminosa, leguminosa forrageira, leguminosas, leguminosas forrageiras, macha de corinespora, malícia, mancha negra, manejo, manejo de doenças, maracujazeiro, marandu, mela-das-sementes, melancia, melhoramento, melhoramento de plantas, melhoramento vegetal, meloeiro, meloeiro nobre, melão, melão nobre, melão rendilhado, micorriza, micorrizas, microbiologia, microbiologia agrícola, microrganismos, mimosa pudica, morte da braquiária, morte de pastagens, míldio, nematóide, nematóides, nitrogênio, noni, oidio, oidium, oídio, pastagens, patologia, patologia de sementes, pau rosa, pecuária, pepino, pepino "japonês", pepino japonês, pesquisa, piper aduncum, plantio convencional, plantio direto, plasticultura, podridão, podridão gomosa, pragas, produção de mudas, produção vegetal, pupunha, pupunheira, pyricularia grisea, queima das folhas, resistência, resistência de plantas, resistência genética, resíduo, rhizoctonia, rotação, sanidade de sementes, scytalidium lignicola, sementes, solo, stylosanthes, substrato, teca, tectonia grandis, thanatephorus cucumeris, tomateiro, transmissão, valor genético, vanila planifolia, vírus, xanthomonas, xanthomonas axonopodis pv. passiflorae e óleo essencial

Projetos

TROPMIX

Utilização de pastos multigramíneas visando à redução da estacionalidade da produção forrageira

2016-2019

Com Ademir Hugo Zimmer, Alexandre Romeiro de Araujo, Manuel Claudio Motta Macedo, Rodrigo Amorim Barbosa e Valeria Pacheco Batista Euclides.

PASPUNI

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE NOVAS CULTIVARES DE FORRAGEIRAS TROPICAIS - PASPALUM

2013-2019

O Brasil ocupa cerca de 160 milhões de hectares na pecuária. Em 2001, estudos revelavam a existência de aproximadamente 80 milhões de hectares de pastagens cultivadas somente por espécies do gênero Brachiaria. Esse fato demonstra a vulnerabilidade genética do sistema pecuário sob pastagem. O cultivo de grandes áreas por uma ou poucas espécies torna inevitável o surgimento ou agravamento de pragas e doenças, contribuindo com a redução da produtividade ou em aumento no uso de insumos agrícolas. O gênero Paspalum é considerado como o mais importante da família Poaceae (Gramíneas) nas Américas, sendo um gênero essencialmente pan-americano de gramíneas tropicais e subtropicais, o qual inclui mais de 330 espécies, das quais cerca de 220 são encontradas no Brasil. Sendo espécies nativas de nossos ecossistemas, oferecem menores riscos de provocar desequilíbrio ecológico. Áreas de pastagens sujeitas a alagamento são comuns em quase todo o território nacional, sendo que os episódios de alagamento e de encharcamento do solo são recorrentes em muitas áreas agrícolas e naturais do planeta. Além disso, as perspectivas de maior incidência de eventos climáticos extremos, como chuvas excessivas, devido às mudanças climáticas globais, podem ocorrer em futuro não tão distante. Dessa forma, crescerá ainda mais a importância de se buscar genótipos de plantas que apresentem maior tolerância ao excesso de água no solo. Há na literatura diversos relatos indicando que o gênero Paspalum possua diferentes espécies tolerantes ao encharcamento e/ou ao alagamento de solos. Vale relatar que a Embrapa Pecuária Sudeste, em São Carlos (SP), mantém um banco ativo de germoplasma de Paspalum, o qual acumula 320 acessos de 37 espécies coletados em várias regiões do Brasil. Portanto, torna-se imperativo o estudo dos acessos desse gênero, que apresentem potencial para serem utilizados como forrageiras, para serem inseridas no sistema de produção animal.

BRACMELHOR

Melhoramento genético e desenvolvimento de cultivares de Brachiaria spp. visando à sustentabilidade da produção pecuária

2015-2019

Com Andrea Raposo, Cacilda Borges do Valle, Celso Dornelas Fernandes, Dalizia Montenario de Aguiar, Denise Baptaglin Montagner, Edson Espindola Cardoso, Erno Suhre, Fabricia Zimermann Vilela Torres, Haroldo Pires de Queiroz, Jose Raul Valerio, Karem Guimaraes Xavier Meireles, Lucimara Chiari, Luiz Antonio Dias Leal, Manuel Claudio Motta Macedo, Mariane de Mendonca Vilela, Roberto Giolo de Almeida, Rodrigo Amorim Barbosa, Rosangela Maria Simeao Resende, Sanzio Carvalho Lima Barrios, Valdemir Antonio Laura e Valeria Pacheco Batista Euclides.

O objetivo do projeto é desenvolver e lançar novas cultivares de braquiária com diferenciais qualitativos, de produtividade e resistência a estresses bióticos e abióticos para diferentes ecossistemas de produção animal e sistemas integrados visando contribuir para uma produção pecuária sustentável. Gramíneas do gênero Brachiaria vêm contribuindo decisivamente para o desenvolvimento da bovinocultura nacional fazendo do Brasil o segundo maior produtor e maior exportador mundial de carne bovina. Como a maioria do rebanho bovino é criada e terminada a pasto, o diferencial qualitativo do produto brasileiro são animais produzidos com menor risco associado à “vaca louca”, observando o bem estar animal e menor custo de produção. Ademais, com as mudanças climáticas previstas torna-se ainda mais importante o desenvolvimento de novas cultivares de Brachiaria, garantindo maior produtividade, adaptação a estresses e melhor valor nutritivo visando mitigar a emissão de gases de efeito estufa pelos bovinos em pastejo, de forma a garantir a sustentabilidade desse agronegócio. A diversificação dos extensos monocultivos de braquiária e a demanda crescente por novas cultivares superiores às existentes são o principal foco a ser trabalhado nesse projeto, uma continuação do projeto finalizado em março de 2015 que liberou as cultivares BRS Paiaguás e BRS Tupi, ambas registradas e protegidas.  

CULTIPAN

Desenvolvimento de cultivares de Panicum maximum para a diversificação, sustentabilidade e intensificação das pastagens

2015-2019

Com Alexandre Romeiro de Araujo, Andrea Raposo, Celso Dornelas Fernandes, Dalizia Montenario de Aguiar, Edson Espindola Cardoso, Erno Suhre, Fabricia Zimermann Vilela Torres, Haroldo Pires de Queiroz, Jose Raul Valerio, Karem Guimaraes Xavier Meireles, Liana Jank, Lucimara Chiari, Luiz Antonio Dias Leal, Mariane de Mendonca Vilela, Marlene de Barros Coelho Caviglioni, Mateus Figueiredo Santos, Roberto Giolo de Almeida, Rodrigo Amorim Barbosa e Valdemir Antonio Laura.

O objetivo do projeto é desenvolver cultivares de Panicum maximum com elevada produção e qualidade, resistentes a Bipolaris maydis e cigarrinhas das pastagens, e com adaptação a pelo menos um estresse edafoclimático, que permitam uma maior diversificação, sustentabilidade e intensificação das pastagens. O Panicum maximum é uma espécie de gramínea forrageira de alto grau de importância para as cadeias produtivas de bovinos e ovinos no Brasil e no mundo, por se destinar à intensificação dos sistemas de produção e conferir excelente acabamento nos animais. A Embrapa Gado de Corte é a instituição única no mundo que dispõe de germoplasma da espécie, representativo da variabilidade natural e com formas sexuais que permitem a realização do melhoramento genético. No Brasil, apenas 10% da produção bovina vem de confinamento, o restante sendo de bovinos criados e engordados a pasto. Enquanto as braquiárias ocupam áreas de solos de baixa a média fertilidade no país e plantios em sistema extensivos de produção, o P. maximum ocupa solos de média a alta fertilidade em sistemas de produção intensivos. Estima-se que existem em torno de 20 milhões de hectares de P. maximum no Brasil, todos de cultivares desenvolvidas pela Embrapa. A presente proposta é a continuação do projeto “Desenvolvimento de cultivares de Panicum maximum para diversificação e intensificação das pastagens”, que resultou no lançamento do P. maximum cv. BRS Zuri, registrada e protegida no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e no registro da cv. BRS Tamani também no Mapa. O objetivo do atual projeto é lançar comercialmente duas cultivares e ter uma sendo finalizada para lançamento. 

SEMENTES

Inovações tecnológicas para produção de sementes de forrageiras tropicais nativas e exóticas

2010-2015

O Brasil detém a posição de maior produtor, maior consumidor e maior exportador de sementes de forrageiras tropicais, com produção anual estimada em 100 mil toneladas e, entre os produtores dessas sementes, 61,2% estão na região Centro-Oeste. A produção dessas sementes por meio de técnicas rudimentares e com baixo controle de qualidade está, aos poucos, perdendo espaço. Para atender um mercado mais exigente e consciente da importância da qualidade do produto, os sistemas de produção têm se especializado e, em consequência, demandado novas tecnologias. Nesse contexto, esse projeto é proposto com o objetivo de gerar conhecimentos e tecnologias para suprir as demandas prioritárias do setor produtivo de sementes de gramíneas e leguminosas forrageiras, nativas e exóticas, com vistas ao incremento na qualidade, na produtividade, na agregação de valor ao produto, na redução de custos e de riscos potenciais da produção de sementes de forrageiras na região Centro-Oeste. 

ESTILO_TROPICAL

Melhoramento genético de Stylosanthes para a sustentabilidade de pastagens tropicais

2011-2015

Com Ademir Hugo Zimmer, Celso Dornelas Fernandes, Lucimara Chiari, Marta Pereira da Silva, Rosangela Maria Simeao Resende e Sergio Raposo de Medeiros.

AGRONANO2

Nanotecnologia Aplicada ao Agronegócio

2011-2015

Com Marlene de Barros Coelho Caviglioni.

Para o País continuar crescendo e abrir novos mercados, vários setores ainda requerem agregação de valor aos seus produtos, o que só pode ser feito pela incorporação contínua de novas tecnologias. Em especial a qualidade e certificação de produtos agrícolas, a biotecnologia, a agroenergia, o monitoramento ambiental, os novos usos de produtos agropecuários, a agricultura de precisão e a rastreabilidade, a indústria de insumos (fertilizantes, pesticidas), as inovações em medicamentos para uso veterinário e na conservação de alimentos e diversos outros setores vinculados à agroindústria serão inevitavelmente beneficiados pelos avanços da nanotecnologia. Assim, a Rede de Nanotecnologia Aplicada ao Agronegócio (Rede AgroNano), organizada e financiada pela Embrapa, se insere neste contexto e tem demonstrado que, com a união de competências e uma atuação multidisciplinar pode dar contribuições inestimáveis na área e proporcionar novas possibilidades para o desenvolvimento social e econômico, seja a curto ou a longo prazo. Pretende-se assim explorar as oportunidades e avaliar a aplicação da nanotecnologia em 5 áreas prioritárias. Este projeto de pesquisa pretende assim consolidar a já formada Rede de Pesquisa em Nanotecnologia para usufruir da estrutura do Laboratório Nacional de Nanotecnologia para o Agronegócio (LNNA), instalado na Unidade da Embrapa Instrumentação, coordenadora este projeto, expandindo sua área de atuação e o desenvolvimento das aplicações, atingindo 158 pesquisadores, 14 Unidades da Embrapa e 39 Institutos de Pesquisa ou Universidades parceiras.

ILPS

Integração Lavoura-Pecuária-Silvicultura: Alternativa de Desenvolvimento Sustentável em Áreas Alteradas da Amazônia Brasileira

2007-2014

A pecuária na Amazônia gerou um passivo ambiental de milhões de hectares de pastagens degradadas, associada à decadência econômica devido à baixa produtividade e a fatores conjunturais globais, o que requer alternativas capazes de sobrepujar estas limitações, além de reincorporar ao processo produtivo esta grande extensão de áreas degradadas. Neste sentido, este projeto objetiva avaliar, adaptar e desenvolver sistemas inovadores de integração de lavoura-pecuária (LP), pecuária-silvicultura (PS) e lavoura-pecuária-silvicultura (LPS) para aumentar a competitividade do setor agropecuário na Amazônia, com baixo impacto ambiental. A proposta contempla cinco planos de ação, sendo o primeiro (PA1) o plano de gestão; o segundo (PA2) trata do diagnóstico dos sistemas de integração na Região Norte; o terceiro (PA3), da implantação e/ou recuperação e manutenção de Unidades de Observação com sistemas de integração; o quarto (PA4) sobre monitoramento das transformações e avaliação da sustentabilidade ambiental e sócio econômica dos sistemas de integração. Neste PA serão avaliados os componentes arbóreo, agrícola, animal e solo nos experimentos instalados nos PA3. O quinto (PA5) tratará de divulgar e transferir as tecnologias e benefícios avaliados neste projeto. Este projeto também objetiva o acompanhamento de parcelas experimentais de longa duração, sendo que, ao final de três anos, a Embrapa terá estruturado uma rede de desenvolvimento científico e de difusão tecnológica com ações sinérgicas e um banco de dados validado, unificado e com regras de utilização e de segurança da informação. As ações e estratégias de comunicação e transferência de tecnologia serão baseadas nos conhecimentos gerados e nas particularidades socioeconômicas, ecológicas e regionais.

TS

SELETIVIDADE DE HERBICIDAS EM ÁREAS DE PRODUÇÃO DE SEMENTES DE FORRAGEIRAS TROPICAIS

2009-2011

Com Ademir Hugo Zimmer.

Formação Acadêmica

Doutorado em Agronomia (Proteção de Plantas)

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

1997-2000

Mestrado em Agronomia

Universidade Estadual de Londrina

1994-1996

Graduação em Agronomia

Universidade Estadual de Maringá

1990-1993

Idiomas

Inglês

Compreende bem, fala razoavelmente, lê bem e escreve bem.

Francês

Compreende razoavelmente, fala pouco, lê razoavelmente e escreve razoavelmente.

Última atualização em 30-09-2015 14:01:43.

Powered by Pandora from PLEASE Lab.