Embrapa Gado de Corte
Lenita Ramires dos Santos

Lenita Ramires dos Santos

Grupo de Pesquisa Animal

Enviar e-Mail de Contato

(67) 3368-2104

Cartão de Visita

http://lattes.cnpq.br/4423803055290816

Embrapa Gado de Corte

Resumo

possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1996), mestrado (2001) e doutorado (2007) em Imunologia pela Universidade Federal da Bahia. Tem experiência na área de Imunologia, com ênfase em Biologia Molecular. Atuou, durante seu mestrado e doutorado em um projetos visando o desenvolvimento de vacinas e testes diagnósticos, aperfeiçoando-se nas seguintes técnicas: clonagem e expressão de genes, produção e purificação de proteínas recombinantes, imunização e avaliação de resposta imune. Atualmente é Pesquisadora A na Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande MS, onde atua na área de Sanidade Animal - Imunologia e Patologia com ênfase em biotecnologia.

Área de Conhecimento

Ciências Biologicas » Imunologia

Palavras-chave

Anaplasma marginale, Babesia bovis, Clonagem, ELISA, Expressão, IFN-gamma, IL-12, IL-12 canina, PCR, bovino, canine, caracterização, dogs, msp5, proteína recombinante, resposta imune, vaccine, variação antigênica e visceral leishmaniasis

Projetos

RISKFACTOR

Convertido de: Avaliação de fatores de risco para patógenos específicos em queijos artesanais e do tempo de maturação adequado para assegurar a inocuidade deste alimento

2019-2023

Com Flabio Ribeiro de Araujo e Gracia Maria Soares Rosinha.

Os queijos artesanais são produzidos historicamente a partir de leite cru. Em Minas Gerais, foram considerados como patrimônio histórico imaterial da humanidade pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, tendo duas regiões conquistado selos de indicações geográficas: Canastra e Serro. Essas indicações têm sido buscadas por outras regiões produtoras de queijos artesanais. Na atualidade, a sua comercialização é permitida por órgãos oficiais, mas, sua produção de forma segura ao consumidor ainda é um desafio ao próprio Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), que ainda não possui respostas sobre: i) os patógenos mais prevalentes nos queijos artesanais e os fatores de risco para a sua presença neste alimento, ii) a distribuição espacial dos mesmos, iii) o tempo de maturação ideal para tornar o queijo artesanal inócuo ao consumidor e,  iv) os principais pontos críticos de controle a serem focados por programas de boas práticas de produção agropecuária (BPA) e de fabricação (BPF) para a produção de um queijo artesanal seguro. Este projeto objetiva determinar os patógenos mais prevalentes, avaliar os fatores a eles associados e analisar se a maturação tem potencial de eliminá-los. O estudo abrange os seguintes queijos artesanais: i) Serro e Canastra (municípios de Minas Gerais); ii) Coalho (municípios de Parnaíba, PI, Currais Novos, RN, Fortaleza, CE e Garanhuns, PE); iii) Nicola (Corumbá); iv) Ilha de Marajó; v) Serrano (regiões serranas do RS e SC); e vi) Colonial (Pelotas, RS). Foram selecionados 384 produtores de queijo artesanal nas diversas regiões usando sorteio aleatório dos cadastrados em órgãos de defesa ou extensão, sendo os mesmos entrevistados e amostras coletadas por propriedade. Os queijos passarão por análises físico-químicas e pelas mesmas análises microbiológicas que são realizadas no leite, a saber: coliformes, mesófilos e Escherichia coli, Staphylococcus aureus (e toxinas), Salmonella sp., Listeria monocytogenes, Streptococcus equi subsp. zooepidemicus, Mycobacterium bovis, Brucella spp. e Mycobacterium avium subsp. paratuberculosis, Campylobacter jejuni e Coxiella burnetii. Os queijos passarão também por análises moleculares para detecção de microrganismos não cultiváveis. Este é o mais amplo levantamento já realizado no Brasil, seja em abrangência espacial, em número de microrganismos estudados, bem como em tipos de queijos artesanais representados, e para cumprir este propósito e atingir os objetivos propostos contará com uma extensa rede de pesquisa com participação de equipes de diversas unidades da Embrapa (Gado de Leite, Gado de Corte, Meio Norte, Agroindústria Tropical, Pantanal e Clima Temperado) institutos de pesquisa (Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Adolfo Lutz, Instituto de Laticínios Cândido Tostes e Instituto de Tecnologia de Pernambuco) e órgãos de defesa (MAPA e órgãos estaduais). Os resultados esperados são: 1) criação de modelos explicativos para a presença de patógenos nos queijos artesanais (fatores de risco) e para o efeito do tempo de maturação na sobrevivência dos patógenos; 2) conhecimento dos patógenos mais prevalentes; 3) o conhecimento da prevalência, fatores de risco e tempo de maturação ideal apoiará o MAPA e órgãos de defesa estaduais na tomada de decisão sobre normas em vigor, regulamentação de novas leis ou formulação de políticas públicas e criação de normativas; e 4) os conhecimentos gerados pelo projeto poderão ser aplicados a Manuais de BPA e BPF e cursos para multiplicadores e extensionistas, de forma a tornar os queijos artesanais mais seguros ao consumidor, contribuindo assim para a sua divulgação entre os consumidores.

DIAGTPB

Desenvolvimento de testes para diagnóstico sorológico de tristeza parasitária bovina

2020-2023

DIAG_SDA

Ações de pesquisa para o avanço do diagnóstico de enfermidades ligadas a programas sanitários

2020-2022

Com Andrea Alves do Egito, Flabio Ribeiro de Araujo, Newton Valerio Verbisck, Paulo Henrique Duarte Cancado e Vanessa Felipe de Souza.

VACBRUPR

Proteínas recombinantes como imunógenos contra Brucella abortus

2020-2022

Com Gracia Maria Soares Rosinha.

MULTB

Convertido de: Avaliação de estratégia multidiagnóstica para o saneamento de propriedades com tuberculose bovina

2019-2019

Com Flabio Ribeiro de Araujo, Gisele Olivas de Campos Leguizamon e Newton Valerio Verbisck.

MULTB

Avaliação de estratégia multidiagnóstica para o saneamento de propriedades com tuberculose bovina

2016-2019

Com Flabio Ribeiro de Araujo, Gisele Olivas de Campos Leguizamon e Newton Valerio Verbisck.

CORYVAC

Avaliação de vacinas de DNA contra Corynebacterium pseudotuberculosis utilizando quitosana como nanocarreador

2015-2018

Com Gracia Maria Soares Rosinha, Liange de Oliveira Diehl, Marlene de Barros Coelho Caviglioni e Newton Valerio Verbisck.

VACNANOBRU

VACINAS DE DNA ASSOCIADAS À NANOPARTÍCULAS CONTRA Brucella abortus

2014-2017

Com Gracia Maria Soares Rosinha, Liange de Oliveira Diehl e Marlene de Barros Coelho Caviglioni.

VACTOXO

Desenvolvimento e avaliação de vacina recombinante para o controle da toxoplasmose em ovinos

2014-2016

Com Fernando Alvarenga Reis, Jacqueline Cavalcante de Barros, Marlene de Barros Coelho Caviglioni, Newton Valerio Verbisck e Renato Andreotti e Silva.

ANAVACDNA

Caracterização de Novas Ferramentas Biotecnológicas como Alternativa para o Controle da Anaplasmose Bovina

2013-2016

Com Flabio Ribeiro de Araujo, Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes, Gracia Maria Soares Rosinha e Marlene de Barros Coelho Caviglioni.

A anaplasmose bovina, doença infecto-contagiosa causada pela riquétsia intra-eritrocítica Anaplasma marginale, causa sérios prejuízos econômicos à pecuária de gado de corte e de leite, devido à alta morbidade e mortalidade em rebanhos bovinos susceptíveis. Este projeto visa o desenvolvimento de vacinas que sejam mais eficientes, mais seguras, de menor custo, maior reprodutibilidade e eficácia que as atuais.

VACTPB

Desenvolvimento de vacina recombinante contra Tristeza Parasitária Bovina baseada em uma proteína quimérica de Babesia sp e Anaplasma marginale, associada a nanopartículas adjuvantes

2013-2015

Com Flabio Ribeiro de Araujo, Gracia Maria Soares Rosinha e Newton Valerio Verbisck.

Formação Acadêmica

Doutorado em Imunologia

Universidade Federal da Bahia

2002-2007

Mestrado em Imunologia

Universidade Federal da Bahia

1998-2001

Graduação em Ciências Biológicas

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

1992-1996

Idiomas

Inglês

Compreende razoavelmente, fala pouco, lê bem e escreve bem.

Última atualização em 06/12/2020 04:37:43 PM.

Powered by Pandora from PLEASE Lab.