Embrapa Gado de Corte
Haroldo Pires de Queiroz

Haroldo Pires de Queiroz

Setor de Implementação da Programação de Transferência de Tecnologia

Enviar e-Mail de Contato

(67) 3368-2081

Cartão de Visita

http://lattes.cnpq.br/4734683434790631

Embrapa Gado de Corte

Palavras-chave

bovino de corte, bovinocultura de corte, gado de corte, programa de computador e sistema de produção

Projetos

BRACMELHOR

Melhoramento genético e desenvolvimento de cultivares de Brachiaria spp. visando à sustentabilidade da produção pecuária

2015-2019

Com Andrea Raposo, Cacilda Borges do Valle, Celso Dornelas Fernandes, Dalizia Montenario de Aguiar, Denise Baptaglin Montagner, Edson Espindola Cardoso, Erno Suhre, Fabricia Zimermann Vilela Torres, Jaqueline Rosemeire Verzignassi, Jose Raul Valerio, Karem Guimaraes Xavier Meireles, Lucimara Chiari, Luiz Antonio Dias Leal, Manuel Claudio Motta Macedo, Mariane de Mendonca Vilela, Roberto Giolo de Almeida, Rodrigo Amorim Barbosa, Rosangela Maria Simeao Resende, Sanzio Carvalho Lima Barrios, Valdemir Antonio Laura e Valeria Pacheco Batista Euclides.

O objetivo do projeto é desenvolver e lançar novas cultivares de braquiária com diferenciais qualitativos, de produtividade e resistência a estresses bióticos e abióticos para diferentes ecossistemas de produção animal e sistemas integrados visando contribuir para uma produção pecuária sustentável. Gramíneas do gênero Brachiaria vêm contribuindo decisivamente para o desenvolvimento da bovinocultura nacional fazendo do Brasil o segundo maior produtor e maior exportador mundial de carne bovina. Como a maioria do rebanho bovino é criada e terminada a pasto, o diferencial qualitativo do produto brasileiro são animais produzidos com menor risco associado à “vaca louca”, observando o bem estar animal e menor custo de produção. Ademais, com as mudanças climáticas previstas torna-se ainda mais importante o desenvolvimento de novas cultivares de Brachiaria, garantindo maior produtividade, adaptação a estresses e melhor valor nutritivo visando mitigar a emissão de gases de efeito estufa pelos bovinos em pastejo, de forma a garantir a sustentabilidade desse agronegócio. A diversificação dos extensos monocultivos de braquiária e a demanda crescente por novas cultivares superiores às existentes são o principal foco a ser trabalhado nesse projeto, uma continuação do projeto finalizado em março de 2015 que liberou as cultivares BRS Paiaguás e BRS Tupi, ambas registradas e protegidas.  

CULTIPAN

Desenvolvimento de cultivares de Panicum maximum para a diversificação, sustentabilidade e intensificação das pastagens

2015-2019

Com Alexandre Romeiro de Araujo, Andrea Raposo, Celso Dornelas Fernandes, Dalizia Montenario de Aguiar, Edson Espindola Cardoso, Erno Suhre, Fabricia Zimermann Vilela Torres, Jaqueline Rosemeire Verzignassi, Jose Raul Valerio, Karem Guimaraes Xavier Meireles, Liana Jank, Lucimara Chiari, Luiz Antonio Dias Leal, Mariane de Mendonca Vilela, Marlene de Barros Coelho Caviglioni, Mateus Figueiredo Santos, Roberto Giolo de Almeida, Rodrigo Amorim Barbosa e Valdemir Antonio Laura.

O objetivo do projeto é desenvolver cultivares de Panicum maximum com elevada produção e qualidade, resistentes a Bipolaris maydis e cigarrinhas das pastagens, e com adaptação a pelo menos um estresse edafoclimático, que permitam uma maior diversificação, sustentabilidade e intensificação das pastagens. O Panicum maximum é uma espécie de gramínea forrageira de alto grau de importância para as cadeias produtivas de bovinos e ovinos no Brasil e no mundo, por se destinar à intensificação dos sistemas de produção e conferir excelente acabamento nos animais. A Embrapa Gado de Corte é a instituição única no mundo que dispõe de germoplasma da espécie, representativo da variabilidade natural e com formas sexuais que permitem a realização do melhoramento genético. No Brasil, apenas 10% da produção bovina vem de confinamento, o restante sendo de bovinos criados e engordados a pasto. Enquanto as braquiárias ocupam áreas de solos de baixa a média fertilidade no país e plantios em sistema extensivos de produção, o P. maximum ocupa solos de média a alta fertilidade em sistemas de produção intensivos. Estima-se que existem em torno de 20 milhões de hectares de P. maximum no Brasil, todos de cultivares desenvolvidas pela Embrapa. A presente proposta é a continuação do projeto “Desenvolvimento de cultivares de Panicum maximum para diversificação e intensificação das pastagens”, que resultou no lançamento do P. maximum cv. BRS Zuri, registrada e protegida no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e no registro da cv. BRS Tamani também no Mapa. O objetivo do atual projeto é lançar comercialmente duas cultivares e ter uma sendo finalizada para lançamento. 

BPA

Consolidação do Programa de "Boas Práticas Agropecuárias - Bovinos de Corte" nas principais regiões produtoras do país.

2010-2014

Com Dalizia Montenario de Aguiar, Ezequiel Rodrigues do Valle, Josimar Lima do Nascimento, Luiz Antonio Dias Leal, Paulo Roberto Duarte Paes, Rodrigo Amorim Barbosa e Websten Cesario da Silva.

AMBIBEEF

Comportamento Ingestivo Diurno, Conforto Térmico e Desempenho Ponderal de Bovinos de Corte sob Sistemas Integrados de Produção no Cerrado brasileiro

2011-2013

Com Fabiana Villa Alves, Roberto Giolo de Almeida, Valdemir Antonio Laura e Valeria Pacheco Batista Euclides.

TTOV

Transferência de tecnologias e conhecimentos para a melhoria da cadeia produtiva da ovinocultura em Mato Grosso do Sul

2010-2013

Com Dalizia Montenario de Aguiar, Eliana Cezar Silveira, Fernando Alvarenga Reis, Joao Batista Catto, Luiz Antonio Dias Leal e Websten Cesario da Silva.

OVINEMA

Interação entre suplementação protéica e resistência a verminose e seus impactos nas variáveis clínicas, parasitológicas e produtivas de ovelhas mantidas a pasto

2010-2012

Com Fernando Alvarenga Reis, Fernando Paim Costa, Joao Batista Catto e Websten Cesario da Silva.

TTPIATA

Estratégia de Comunicação e Transferência de Tecnologia para o Capim BRS Piatã - Cultivar protegida de Brachiari brizantha

2008-2012

Com Armindo Neivo Kichel, Jose Alexandre Agiova da Costa e Lucia Gatto.

AGRODIN

Cenários territoriais para a agricultura brasileira nos próximos 5-10 anos

2008-2011

Com Fernando Paim Costa.

O problema focalizado pelo projeto está caracterizado pela necessidade de se construir cenários territoriais da agricultura brasileira, para os próximos 5-10 anos. Essa é uma demanda frequente colocada para a Secretaria de Gestão Estratégica (SGE) e para as Unidades Descentralizadas da Embrapa. Existem estudos prospectivos onde predomina a extrapolação de tendências da quantidade produzida de produtos individuais, com pouca consideração para os aspectos territoriais envolvidos na atividade agropecuária, tais como competição pela mesma área entre diferentes produtos, ou utilização de novas áreas. Com o processamento a ser realizado no presente projeto, serão identificados conglomerados territoriais, de microrregiões próximas, onde se concentrou uma parte substancial (da ordem de 75%) da produção nos últimos dez anos. Outros atributos (aspectos edafoclimáticos, sistemas de produção, etc) serão considerados como informação adicional, utilizada para caracterizar os conglomerados. Desse modo, o enfoque metodológico considera que a expansão territorial da agricultura, nos próximos 5-10 anos, utilizará como base o aumento da densidade (produção por área total da microrregião) nos atuais conglomerados e em microrregiões próximas a eles. O principal resultado esperado é a incorporação da dimensão territorial na elaboração de cenários para a agricultura, o qual, por sua vez, servirá de base para a formulação de estratégias de desenvolvimento sustentável, e para atender demandas relacionadas com a logística do agronegócio. No aspecto técnico, será internalizado o uso de recursos computacionais que têm sido aplicados com o mesmo objetivo.

Formação Acadêmica

Graduação em Zootecnia

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

1982-1986

Ensino Médio em

Centro de Educação Rural de Aquidauna

1979-1981

Última atualização em 24-10-2016 07:07:16.

Powered by Pandora from PLEASE Lab.