Embrapa Gado de Corte
Manuel Claudio Motta Macedo

Manuel Cláudio Motta Macedo

Chefia Adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento

Enviar e-Mail de Contato

(67) 3368-2061

Cartão de Visita

http://lattes.cnpq.br/3572190832440327

Embrapa Gado de Corte

Área de Conhecimento

Ciências Agrárias » Agronomia » Ciência do Solo » Fertilidade do Solo e Adubação

Palavras-chave

Brachiaria, Brachiaria brizantha, Brachiaria decumbens, Panicum maximum, Absorção de nutrientes, Absorção radicular, Acid soils, Adubação, Adubação de pastagem, Adubação nitrogenada, Agregados do solo, Agronomic evaluation, Agropastoral systems, Agrossilvipastoril, Altura de pastejo, Analise de solo, Analise foliar, Andropogum gayanus, Animal performance, Animal production, Apomixis, Areia Quartzosa, Argila, Ater, Atributos quimicos do solo, Avaliação economica, Aveia, Biomassa radicular, Bovino, Bovino de corte, Bovinocultura, Bovinos, Brachiaria, Brachiaria brizantha, Brachiaria decumbens, Brachiaria grasses, Brachiaria humidicola, Brachiaria ruziziensis, Brachiaria spp, Brasil, Breeding, Brotação, Calagem, Calcário, Calopogônio, Capacidade de suporte, Carbono do solo, Carga animal, Carrying capacity, Cattle, Cerrados, Ciencias agrárias, Cigarrinha das pastagens, Cinética de digestão, Clima, Climatologia, Clorose, Cobertura do solo, Cobre, Coloniao, Compactação do solo, Componente arbóreo, Componentes da produção, Composicao quimica, Comprimento radicular, Concentrado, Consorciação, Consorcio, Continuous grazing, Conversão alimentar, Crescimento vegetal, Critical bulk density, Crop-pasture rotation, Cropping systems, Crude protein, Cultivar development, Cultivar selection, Cultivares, Cultural practices, Cupins, Curva de crescimento, Deficiências, Degradação de pastagens, Densidade do solo, Descompactação, Desempenho animal, Diagnose foliar, Digestibilidade, Digestibility, Disponibilidade de forragem, Disponibilidade de matéria seca, Diversidade, Dry matter yield, Ecophysiology, Eficiencias nutricionais, Emissão de metano, Ensilagem, Enxofre, Epoca das secas, Epoca das águas, Ervas daninhas, Escarificador, Espaçamento, Estabilidade de agregados, Estações do ano, Estilosantes, Eucalipto, Exigências nutricionais, Experimentação, Fermentação in vitro, Fertilidade do solo, Fertilizante, Fertilização, Fogo, Fontes de fósforo, Forage availability, Forrageiras, Forragem, Força de cisalhamento, Fosfato, Fosfato de rocha, Fosfato de rocha, Fração lábil, Fósforo, Fósforo extraível, Ganho animal, Ganho de peso, Gases de efeito estufa, Genotypes enviromental interaction, Geoestatística, Gesso, Gossypium barbadense, Gossypium hirsutum, Gradagem, Gramíneas, Gypsum, Infiltração de água, Insetos, Integração lavoura-pecuária, Integração lavoura-pecuária-floresta, Intervalo entre partos, Kinetic analysis, Lamina foliar, Latossolo, Leguminosas, Ley cropping, Limestone, Litter, Liveweight gain, Lotação animal, Macrofauna, Macronutrientes, Macronutrients, Mandioca, Manejo da pastagem, Manejo do solo, Maniva, Maniva-semente, Marcadores, Marcadores ósseos, Marcha de Absorcao, Massa específica, Materia seca verde, Matéria orgânica, Matéria seca, Mehlich-1, Melhoramento animal, Melhoramento genético, Metodos de plantio, Microbiologia do solo, Milheto, Milho, Milliet, Minerais, Mitigação, Mombaça, Mycorrhizae, Má drenagem, N Total, N absorption, N-protegido, N15, NIRS, NPK, NPK fertilisation, Nelore, Nematoide de galha, Nematóides, Neossolo Quartzarenico, New cultivars, Nitrogen utilization, Nitrogênio, Nodulação, Nutritive value, Nutrição animal, Nutrição mineral, Níveis críticos, Organic matter, Oryza sativa, Osso, Oxisols, Palhada, Panicum maximum, Panicum spp, Parasita, Paspalum, Paspalum sp, Pastagens, Pastejo contínuo, Pastejo rotacionado, Pastejo rotativo, Pasture degradation, Pearl millet, Persistence, Peso radicular, Phosphorus, Plant breeding, Plant nutrition, Plantas daninhas, Plantio direto, Plasma, Plintossolo, Poaceae, Porosidade, Potassio, Potassium, Pratylenchus brachyurus, Produtividade, Produtividade agropecuaria, Produção animal, Produção de forragem, Produção de grãos, Produção de matéria seca, Produção vegetal, Propriedades físicas do solo, Proteína bruta, Prática cultural, Qualidade do solo, Queda de produtividade, Química do solo, Razão de massa de folhas, Razão de área foliar, Raízes, Recuperação de nitrogênio, Recuperação de pastagens, Regressão não linear, Relação folha:colmo, Relação raiz:parte aérea, Renovação, Resina, Resistencia, Resistência do solo à penetração, Resíduo orgânico, Resíduos de forragem, Retenção de água, Root structure, Rotação de culturas, Rotação lavoura-pecuária, Rotylenchulus, Saccharum officinarum, Safrinha, Saturação de alumínio, Saturação por bases, Savannas, Selection, Seletividade, Sementes, Short-duration grazing, Sindrome da morte do capim-marandu, Sistema de produção, Sistema plantio direto, Sistema radicular, Soil fertility, Soja, Solanum tuberosum, Solos, Sorgo, Soybean, Soybeans, Stocking rates, Stylosanthes guianensis, Subsolagem, Sulfato de amonio, Suplementação, Sustainability, Sustentabilidade, Symbiosis, Tanzânia, Taxa de aparecimento foliar, Taxa de assimilação líquida, Taxa de crescimento, Taxa de crescimento diário, Taxa de degradação, Taxa de lotação, Taxa de recuperação de P, Temperatura, Tempo de pastejo, Tillage, Tolerância a seca, Tropical grass, Tupi, Umidade relativa do ar, Uptake efficiency, Uréia, Utilization efficiency, Valor nutritivo, Vinhoto, Zea Mays, acumulo de forragem, adaptação, analise economica, atividade ovariana, capim-braquiária, capim-marandu, capim-massai, capim-piatã, capim-tanzânia, caracteristicas agronomicas, ciclagem de nutrientes, citogenética, custo de produção, estoque de carbono, fisica do solo, folhas diagnosticas, forrageira tropical, grass cultivar, microclima, network trial, oferta de forragem, palisade grass, pastagem degradada, pasture diversification, preparo do solo, recuperação de pastagem, reprodução, seleção de cultivares, solo arenoso, taxa de alongamento foliar, taxa de prenhez, tropical pastures, uso do solo, Água do solo e Área foliar

Projetos

TROPMIX

Utilização de pastos multigramíneas visando à redução da estacionalidade da produção forrageira

2016-2019

Com Ademir Hugo Zimmer, Alexandre Romeiro de Araujo, Jaqueline Rosemeire Verzignassi, Rodrigo Amorim Barbosa e Valeria Pacheco Batista Euclides.

BRACMELHOR

Melhoramento genético e desenvolvimento de cultivares de Brachiaria spp. visando à sustentabilidade da produção pecuária

2015-2019

Com Andrea Raposo, Cacilda Borges do Valle, Celso Dornelas Fernandes, Dalizia Montenario de Aguiar, Denise Baptaglin Montagner, Edson Espindola Cardoso, Erno Suhre, Fabricia Zimermann Vilela Torres, Haroldo Pires de Queiroz, Jaqueline Rosemeire Verzignassi, Jose Raul Valerio, Karem Guimaraes Xavier Meireles, Lucimara Chiari, Luiz Antonio Dias Leal, Mariane de Mendonca Vilela, Roberto Giolo de Almeida, Rodrigo Amorim Barbosa, Rosangela Maria Simeao Resende, Sanzio Carvalho Lima Barrios, Valdemir Antonio Laura e Valeria Pacheco Batista Euclides.

O objetivo do projeto é desenvolver e lançar novas cultivares de braquiária com diferenciais qualitativos, de produtividade e resistência a estresses bióticos e abióticos para diferentes ecossistemas de produção animal e sistemas integrados visando contribuir para uma produção pecuária sustentável. Gramíneas do gênero Brachiaria vêm contribuindo decisivamente para o desenvolvimento da bovinocultura nacional fazendo do Brasil o segundo maior produtor e maior exportador mundial de carne bovina. Como a maioria do rebanho bovino é criada e terminada a pasto, o diferencial qualitativo do produto brasileiro são animais produzidos com menor risco associado à “vaca louca”, observando o bem estar animal e menor custo de produção. Ademais, com as mudanças climáticas previstas torna-se ainda mais importante o desenvolvimento de novas cultivares de Brachiaria, garantindo maior produtividade, adaptação a estresses e melhor valor nutritivo visando mitigar a emissão de gases de efeito estufa pelos bovinos em pastejo, de forma a garantir a sustentabilidade desse agronegócio. A diversificação dos extensos monocultivos de braquiária e a demanda crescente por novas cultivares superiores às existentes são o principal foco a ser trabalhado nesse projeto, uma continuação do projeto finalizado em março de 2015 que liberou as cultivares BRS Paiaguás e BRS Tupi, ambas registradas e protegidas.  

SISCERRADO

Componentes bióticos e abióticos e suas interações em Sistemas Integrados (iLP e iLPF) na região do Cerrado e áreas de abrangência

2014-2017

Com Ademir Hugo Zimmer, Alexandre Romeiro de Araujo, Andre Dominghetti Ferreira, Celso Dornelas Fernandes, Fabricia Zimermann Vilela Torres e Roberto Giolo de Almeida.

As áreas agrícolas do bioma Cerrado são responsáveis por boa parte da produção agropecuária do Brasil. Nessa região, apesar dos avanços tecnológicos, ainda são comumente verificadas situações de acentuada degradação das pastagens e de manejo inadequado do solo sob lavouras, o que tem resultado baixos índices de produtividade na pecuária e frequentes frustrações de safras de grãos com a ocorrência de veranicos. Uma das formas que vem sendo preconizada para enfrentar esta situação, consiste na adoção do Sistema Plantio Direto e na utilização de sistemas integrados (SIs) de produção, como a Integração lavoura-pecuária (iLP) e a integração lavoura-pecuária-floresta (iLPF). Mesmo com a geração de novos conhecimentos e tecnologias para a viabilização do sistemas ILP e ILPF, alguns aspectos ainda não estão suficientemente esclarecidos como os componentes bióticos e abióticos e suas interações. Tais efeitos, uma vez quantificados podem resultar em novas recomendações técnicas com ganhos econômicos e ambientais. Desta forma, visando a verificação da hipótese de que os sistemas integrados de produção (SILPs e SILPFs) são mais eficientes e sustentáveis do que os sistemas tradicionais com monocultivo e os não integrados, está sendo realizado este projeto. São parceiros da Embrapa Agropecuária Oeste na execução deste trabalho, a Embrapa Agrossilvipastoril, Embrapa Cerrados, Embrapa Milho e Sorgo, Embrapa Gado de Corte e Embrapa Soja.

GEEFLOREST

Dinâmica da emissão de gases de efeito estufa e dos estoques de carbono em florestas brasileiras naturais e plantadas - GEE Floresta

2012-2017

Com Alexandre Romeiro de Araujo, Jose Alexandre Agiova da Costa, Lidiamar Barbosa de Albuquerque, Marta Pereira da Silva e Rodiney de Arruda Mauro.

O Brasil participa ativamente dos esforços de redução da emissão de gases de efeito estufa. Como signatário da Convenção do Clima, tem compromisso de apresentar inventários das emissões e remoções de gases de efeito estufa, bem como propor estratégias de mitigação e adaptação para o enfrentamento dos impactos das mudanças climáticas. As florestas possuem reconhecida capacidade de estocar carbono e contribuir para a redução do fluxo líquido de gases de efeito estufa (GEE) à atmosfera. Todavia, a magnitude deste sumidouro é desconhecida. Em consequência das lacunas de informações, a precisão na contabilização destes sumidouros nos inventários nacionais é reduzida. Os cenários políticos e científicos indicam que em um prazo bastante limitado, o país deverá entrar numa nova fase em termos de elaboração e publicação dos inventários nacionais e do monitoramento das ações voluntárias para redução da emissão de GEE, passando a publicar inventários mais frequentes e auditados e, para tanto, é absolutamente necessário o desenvolvimento e aprimoramento de indicadores técnico-científicos referentes às emissões e remoções de GEE das florestas, bem como dominar ferramentas tecnológicas que permitam maior integração das informações nacionais. Neste sentido, a Embrapa, por meio da Embrapa Florestas, e instituições e empresas parceiras fomentaram a formação da Rede Saltus para geração de informações consistentes sobre as Florestas no tocante a estoques de carbono e emissão de gases de efeito estufa visando cobrir as lacunas de informações desta natureza existentes no país, bem como avançar no uso de técnicas de simulação matemática e sensoriamento remoto nas estimativas de emissões/remoções de GEE no país avaliando economicamente as alternativas mitigadoras.

PECUS

Gestão do Projeto Dinâmica de gases de efeito estufa em sistemas de produção da agropecuária brasileira

2011-2016

Com Alexandre Romeiro de Araujo, Armindo Neivo Kichel, Denise Baptaglin Montagner, Fernando Paim Costa, Luiz Orcirio Fialho de Oliveira, Roberto Augusto de Almeida Torres Junior, Roberto Giolo de Almeida, Rodiney de Arruda Mauro, Rodrigo da Costa Gomes, Sergio Raposo de Medeiros, Valdemir Antonio Laura, Valeria Pacheco Batista Euclides e Wilson Werner Koller.

O Projeto PECUS avalia a dinâmica de gases de efeito estufa (GEE) e o balanço de Carbono (C) em sistemas de produção agropecuários de seis Biomas do Brasil (Mata Atlântica, Caatinga, Pantanal, Pampa, Amazônico e Cerrado). No formato rede de pesquisa, é fruto da ação conjunta de várias instituições, reunindo mais de 300 pesquisadores no Brasil e no exterior. . A pesquisa contribuirá para para a competitividade e sustentabilidade da pecuária brasileira, por meio do desenvolvimento e organização de pesquisas que estimem a participação dos sistemas de produção agropecuários na dinâmica de GEE, visando identificar alternativas de mitigação e subsidiar políticas públicas. O projeto também colabora para o aprimoramento de normas e mecanismos de garantia da qualidade, da segurança e da rastreabilidade dos produtos pecuários.

INFRAPECUS

Equipamentos para laboratórios multiusuários visando avanços incrementais da Rede Pecus

2014-2016

MELHSORGO

Desenvolvimento de Cultivares de Sorgo dos tipos granífero, forrageiro e para bioenergia tolerantes a múltiplos estresses e adaptados às diferentes regiões do País

2011-2015

O sorgo é estratégico para a agricultura brasileira devido à possibilidade de sua utilização para a produção de alimentos e bioenergia. Seus diferentes tipos – granífero, forrageiro e energético – tornam a cultura única para o agronegócio nacional. O sorgo granífero pode contribuir para a sustentabilidade da produção de grãos no país, uma vez que a cultura é resistente ao déficit hídrico, e o cultivo de grãos é realizado principalmente em condições de sequeiro e na segunda safra. Já o sorgo forrageiro garante a oferta de alimentos para animais nas regiões e épocas de seca, onde a oferta de volumosos é escassa. Por sua vez, o sorgo sacarino e o lignocelulósico aparecem como alternativas de produção de energia renovável. O sorgo sacarino poderá ser utilizado como matéria-prima pelas usinas de álcool na entressafra da cana-de-açúcar. E o sorgo lignocelulósico aparece como forte candidato na produção e etanol de segunda geração. Diante desse cenário, este projeto visa fornecer aos agricultores brasileiros cultivares de sorgo para a produção de grãos, forragem e etanol adaptadas a diferentes condições ecológicas e sistemas de plantio. O objetivo desse projeto é ampliar a base genética da cultura do sorgo mediante a introdução, desenvolvimento, caracterização, geração e avaliação de populações, linhagens e cultivares com alto potencial de rendimento de grãos, forragem e biocombustível e adaptadas aos diferentes sistemas de produção e regiões do Brasil. Apoiado por uma equipe multidisciplinar de diversas instituições, este projeto visa também gerar ações nos âmbitos genético, biotecnológico e fitotécnico de forma a desenvolver, avaliar e selecionar genótipos de sorgo a serem licenciados pela Embrapa que atendam aos diferentes segmentos de produção e uso no Brasil, tanto para a produção de alimentos (grãos e forragem) como para a produção e bioenergia (bioetanol). A estratégia para alcançar este objetivo será utilizar a estrutura e a rede de parcerias da Embrapa com entidades públicas e privadas na execução das diferentes atividades integrantes deste projeto. Além de desenvolver e validar conhecimentos nas áreas de melhoramento genético, de biotecnologia e de fitotecnia, espera-se com este projeto aumentar a oferta de novas cultivares de sorgo e que esse cereal tenha cada vez maior destaque no cenário agrícola nacional. Como consequência deste projeto devem ser também fortalecidas as cadeias produtivas da carne, do leite, de ovos e da bioenergia. 

E-MISSIONS

Desenvolvimento e validação de aplicativo web para avaliação de indicadores globais de sustentabilidade em sistemas de produção de gado de corte tradicionais e integrados com lavoura e floresta

2011-2015

Com Camilo Carromeu, Davi Jose Bungenstab, Guilherme Cunha Malafaia, Rodrigo Carvalho Alva e Websten Cesario da Silva.

GEODEGRADE

Desenvolvimento de Geotecnologias para Identificação e Monitoramento de Níveis de Degradação em Pastagens

2011-2014

Com Ademir Hugo Zimmer.

Dados do Censo Agropecuário de 2006 indicam que a área de pastagem cultivada no Brasil corresponde a cerca de 106 milhões de hectares. Devido à pecuária brasileira ser desenvolvida predominantemente em pastagens, a sua degradação pode representar prejuízos econômicos e ambientais para o setor. O processo de degradação de pastagens é um fenômeno complexo, que envolve causas e consequências que levam à gradativa diminuição da capacidade de suporte da pastagem. Seja para adequar-se às novas regras ambientais do mercado internacional e nacional, seja para liberar área para agricultura ou, ainda, para aumentar a lucratividade do setor, a recuperação das áreas degradadas deve ser prioridade no setor pecuário. Elaborado com base nas demandas de desenvolvimento tecnológico para o uso sustentável de áreas degradadas, este projeto busca desenvolver métodos de identificação e mapeamento de processo de degradação das pastagens. Com isso, será possível disponibilizar ferramentas de gestão que resultem no aproveitamento de áreas degradadas para o desenvolvimento de sistemas produtivos, na exploração sustentável da produção agropecuária e na redução no desmatamento. A utilização de geotecnologias e geoinformação por parte de empresas e órgãos, públicos ou privados, têm crescido consideravelmente para dimensionar, de forma ampla e eficiente, a magnitude do problema e subsidiar as políticas públicas nas tomadas de decisões sobre a recuperação, o manejo e o uso dessas terras. Entre os objetivos do projeto está o desenvolvimento de geotecnologias para a identificação e o monitoramento de níveis de degradação em pastagens dos biomas Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica; a padronização, organização e integração dos diferentes tipos de dados obtidos e gerados pelo projeto em uma base única de informações; a identificação de níveis de degradação de pastagens a partir de imagens de sensores remotos multiespectrais; a identificação de aspectos biofísicos relativos aos níveis de degradação de pastagens; e a obtenção de indicadores espacialmente explícitos de degradação de áreas sob pastagens baseados na integração e em cruzamentos geoespaciais entre os planos de informações gerados e os diferentes níveis de degradação observados em campo. Como resultado, será produzido um livro técnico-científico e um macrozoneamento, documento sintético reunindo mapas temáticos e textos explicativos mostrando a dinâmica espacial da pecuária bovina no Brasil e destacando nos três biomas do projeto as principais características relacionadas aos processos de degradação das pastagens. É esperada também a elaboração de um Sistema de Informação Geográfica (SIG). Mais informações, acesse: http://www.geodegrade.cnpm.embrapa.br

PRODESILP

Integração Lavoura-Pecuária: uma proposta de produção sustentável para a região do Cerrado

2007-2013

Com Rodiney de Arruda Mauro.

A degradação das pastagens é um dos principais problemas da pecuária brasileira. Diversas estratégias de recuperação da produtividade das pastagens em degradação vêm sendo desenvolvidas pela Embrapa e outras Instituições de Pesquisa e de Ensino. Nesses estudos, a redução dos custos de recuperação de pastagens degradadas tem sido um dos focos principais. O sistema de integração lavoura-pecuária (SILP) tem se apresentado como uma das melhores alternativas para reduzir os custos com adubação em pastagem. Os SILPs têm potencial para aumentar a produtividade de grãos e de carne e leite e, ao mesmo tempo, reduzir os riscos de degradação dos recursos naturais. Os resultados obtidos com SILPs, no Cerrado, demonstraram os benefícios desse sistema na produção agropecuária e na melhoria das propriedades físicas, químicas e biológicas do solo. Além disso, os SILPs são extremamente interessantes por conferir elevada rentabilidade ao negócio com riscos relativamente baixos. Ademais, a maior sustentabilidade na agricultura de grãos, por exemplo, em razão da quebra no ciclo de pragas e de doenças e da melhora na qualidade física do solo, contribui, decisivamente, para a diminuição do risco do negócio. O SILP pode contribuir, ainda, para ampliar a área cultivada com grãos e para aumentar a produção animal sem a necessidade de abrir novas áreas de Cerrado ou de ecossistemas mais frágeis, como a Amazônia. Dessa forma, os SILPs parecem ser um dos caminhos para a sustentabilidade da produção agropecuária na região do Cerrado. Portanto, essa proposta tem por objetivos avaliar o potencial de sistemas de integração lavoura-pecuária (SILP) como alternativa sustentável em regiões agroeconômicas representativas na região do Cerrado e áreas limítrofes, implementando e ampliando ações de pesquisa onde serão aprofundados o conhecimento dos sistemas, com novas combinações de culturas, incluindo o componente florestal (SILPF), e consolidar metodologia de avaliação de sustentabilidade.

MOMBAçA

Estratégias de manejo do capim-mombaça sob pastejo rotacionado.

2010-2012

Com Roberto Augusto de Almeida Torres Junior, Rodrigo Amorim Barbosa e Valeria Pacheco Batista Euclides.

ILPF

Manejo do capim-piatã (Brachiaria brizantha cv. BRS Piatã) no estabelecimento de sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta, como estratégia de renovação de pastagens degradadas no Cerrado

2009-2011

Com Fernando Paim Costa, Jose Alexandre Agiova da Costa, Roberto Giolo de Almeida, Rodiney de Arruda Mauro, Sergio Raposo de Medeiros e Valdemir Antonio Laura.

FOR3

Estratégias de uso e manejo de gramíneas forrageiras no período de outono-inverno: Brachiaria brizantha cv. BRS Piatã e Sorghum spp. cv. BRS 801

2008-2010

Com Fernando Paim Costa, Jose Alexandre Agiova da Costa e Roberto Giolo de Almeida.

PIATA

Estabelecimento de bases para o manejo sustentável de Brachiaria brizantha cv. BRS Piatã sob lotação contínua

2007-2010

Com Roberto Augusto de Almeida Torres Junior, Rodrigo Amorim Barbosa e Valeria Pacheco Batista Euclides.

NOVACULTPM

Obtenção de novas cultivares de Panicum maximum para diversificação e intensificação das pastagens brasileiras

2007-2010

Com Celso Dornelas Fernandes, Fernando Alvarenga Reis, Jose Raul Valerio, Liana Jank, Lucimara Chiari, Rosangela Maria Simeao Resende, Valdemir Antonio Laura e Valeria Pacheco Batista Euclides.

A pecuária de corte no Brasil é baseada no uso de pastagens, mas dispõe de poucas forrageiras de alta produção, com boa distribuição de forragem ao longo do ano e adaptadas às diversas condições ecológicas do país. Na busca por novas forrageiras, a Embrapa Gado de Corte importou a coleção internacional de Panicum maximum, representativa da variabilidade natural da espécie e que inclui acessos apomíticos e plantas sexuais que permitem o melhoramento genético. Através desse projeto, por meio de melhoramento genético e seleção, foram desenvolvidos genótipos de P. maximum para atender às diversas demandas das cadeias produtivas de carne bovina e ovina. Com isso, foram lançadas comercialmente as cultivares BRS Zuri e BRS Tamani, visando contribuir com a diversificação das pastagens e o aumento da produtividade animal em áreas tropicais do Brasil.

Formação Acadêmica

Doutorado em Soil Science

North Carolina State University

1979-1983

Especialização em Sistemas de Produção Para a Cultura da Mandioca

Centro Internacional de Agricultura Tropical

1976-1976

Mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas)

Universidade de São Paulo

1973-1976

Graduação em Engenharia Agronômica

Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

1968-1972

Idiomas

Italiano

Compreende razoavelmente, fala pouco, lê razoavelmente e escreve pouco.

Inglês

Compreende bem, fala bem, lê bem e escreve bem.

Francês

Compreende razoavelmente, fala pouco, lê razoavelmente e escreve pouco.

Espanhol

Compreende bem, fala bem, lê bem e escreve razoavelmente.

Última atualização em 18-09-2014 13:30:11.

Powered by Pandora from PLEASE Lab.